quarta-feira, 7 de abril de 2010

A Lua


Numa dessas noites encantadas
prometo que eu irei por aí
com minha viola enluarada
tocar uma canção só pra ti

Chegarei aí num cata-vento
antes de tu, amiga, dormir
e no aposento do relento
me alegrarei com teu sorrir

E se acaso tu tiveres dormindo
as estrelas te acordarão
cada uma delas dirá sorrindo
menina, vem ouvir um violão.

Menina, vem ver a viola
que de longe veio tocar
para você de camisola
na linda noite de luar

Menina, vem ver a lua
que com todo esplendor
desponta pra alma tua
lindos versos de amor

E o violão que todo dia
é teu fã incondicional
vai dedilhar a Melodia
aquela pura, Sentimental

Acorda vem olhar a Lua
que veio lá da imensidão
pra dar encanto a tua rua
na batida dum coração

Acorda, vem que essa Lua
tá falando com seu clarão
e a serenata continua
sempre no verso, na canção.

Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

9 comentários:

viviana disse...

lindo, lindo mesmo, lindo poema, parabéns pela inspiração, toda mulher adora serenata,e essa é linda!!!!!!!!!

mestre_dos_trouxas disse...

São letras que vão de encontro com a alma da gente. Palavras que sonorizam uma sinfonia em nossos ouvidos, parecendo mesmo uma serenata ao luar.Parabéns!

raquel disse...

são palavras que encantam;numa sintonia de beleza;em versos e rimas...me sinto nesta poesia meu querido poeta...fantastico bjussss mil...

juliana bandeira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Essa poesia é mesmo uma alusão ao amor.
Parabéns poeta

Jetro Fagundes disse...

obrigado

Anônimo disse...

Lindo esse poema! Meu predileto do blog! Amei! Parabéns Jetro,escreves com a alma... Ke dom maravilhoso ke Deus o presenteou!!!
Lindoooo poema!

Geisa Gonzaga disse...

Bacana seu blog, Jetro! E os poemas-homenagens são muito bons. Parabéns!!!
Beijo da Geisa

LABORATORIO DE DEMOCRACIA URBANA “Cidade Velha-Cidade Viva” disse...

Égua, Jetro, algum artista deveria musicar esse poema. É lindo demais.
Me lembrou o 'Noite alta ceu risonho, a quietude é quase um sonho..."

Parabéns