quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Os Amigos de Daniel, Três Irmãos Coragem



Os Amigos de Daniel
Três Irmãos Coragem

Mano Vento corajoso
Certo causo espantoso
Faz tempo que aconteceu
Pros rumos da Babilonia
Aquela nação medonha
O império caldeu

A maior das valentias
De todas as rebeldias
O mais puro destemor:
Três amigos companheiros
Peitam império estrangeiro
De Nabucodonosor

Esse caldeu soberano
Num ato louco, insano
Manda edificar
Mega estátua dourada
Para ser idolatrada
Por todo que ali passar

Quem ousar ser desobediente
Com certeza irá se vê
Sem processo, sumariamente
No inferno do forno ardente
Onde haverá de morrer

Diante dessa insanidade
A sociedade, autoridades
E a elite sacerdotal,
O mundo que lá passava
Adorava e reverenciava
A estátua colossal

Mas os amigos Sadraque
Abede-Nego e Mesaque
Não se curvam a essa lei.
Ao som da harpa e saltério
Desmoralizam o império
E o próprio insano rei

Com o Deus que nunca falha
Vão andar pela fornalha
Para o espanto geral
De príncipes, ministros
E sátrapas sinistros:
Toda a nata imperial.

E Hananias, Misael e Azarias,
Fiéis ao Deus do profeta Daniel
Rejeitaram toda sorte de iguarias
Luxúrias, abomináveis idolatrias
Simbolizadas na estátua, em babel

Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Betinho


Betinho

O Irmão do Henfil

I

pros rumos das Alterosas
terra onde Tiradentes nasceu
uma alma pra lá de corajosa
mineiramente santa apareceu

Vento, lindo sumano cabano
sei que tu já ouvistes falar
de um amigo dos dominicanos
menino de sonhar, agir, lutar

Homem que já lá na juventude
sabia muito bem se posicionar
numa União Católica de Atitude
a nossa lendária Ação Popular

Desde a época universitária
ele já dava um claro sinal
de defender a reforma agrária
pra paz reinar no meio rural

Lá pro meio dos anos sessenta
este guerreiro da Ação Popular
viu uma quartelada vil, nojenta
golpear o governo de João Goulart

Claro que eu falo dum mineirinho
um menino de extrema convicção
carinhosamente chamado de Betinho
belo exemplo de indignado cidadão

Nem a sua hereditária hemofilía
conseguiu sequer lhe esmorecer
pois combateu com muita ousadia
os militarescos donos do poder

Esse irmão do artista Chico Mário,
na noite tenebrosa de escuridão
foi um revolucionário, libertário
que enfrentou a mais dura repressão

Homem de paciencia e persistencia
foi como bravo militante popular
um dos dos símbolos da resistencia
que combateu o regime militar

Perseguido, partiu como exilado
pro Chile onde também viu acontecer
um outro golpe militar de estado
chefiado pelo fascista Pinochet

Do Chile, de Allende golpeado
Betinho sai por ai, por acolá
cassado, perseguido, refugiado
na França, Estados Unidos, Canadá

Vento, tu que também te indignas
quando alguém agride algum teu rio
lembras João Bosco e Elis Regina,
pedindo a volta do irmão do Henfil?

Lembras da canção popularizada
em bares, pastorais e sociais
e nas comunidades das caminhadas
da companheirada de guerra e paz ?

Tempos da baioneta, fuzil, porrete
e a terra em que Cabral invadiu
sonhava ao som do rabo de foguete
com a volta desse irmão do Henfil

Vento, eu sei que como ativista
tu assobiando lá pra imensidão
tangias o Bêbado e o Equilibrista
caminhando, cantando essa canção


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

Betinho




Betinho

O Irmão do Henfil

II

Vento, tu que odeias as ditaduras
e amas as populares manifestaçoes
sabes pelas Análises de Conjunturas
de Betinho e as suas realizações

Um dia, lá um dia, do estrangeiro
mano Vento, comarada cheio de brio
Betinho retorna com companheiros
à pátria amada idolatrada Brasil

Quem pensar que ele acovardou-se
depois de retornar pro seu torrão
claro que redondamente enganou-se
pois voltou do exílio mais cidadão

Vento, tu que amas a ideologia
sabias que na estratégica ação
Betinho fez bom uso da sociologia
no processo de redemocratização ?

Muito mais amante da cidadania
voltou com redobrada disposição
para enterrar de vez a tirania:
Vinte anos de cruel perseguição

E num segundo periodo, nova fase
ainda no periodo dos generais
o mineirinho cria o famoso IBASE
um Instituto de Análises Sociais

Voltado para assuntos de economia
e tantas responsabilidades sociais
o IBASE, Instituto de Cidadania
motivou diversos temas nacionais

Instituto de Análises, Estatísticas
que após a nossa redemocratização
ao introduzir a ética na política
gerou mais consciencia no cidadão

E com o Brasil ja redemocratizado
Betinho também deu sua contribuição
para que Collor além de processado
fosse Himpeachimado por corrupção

Ah! Amigo menino Vento Marajoara
eu te falarei em outras ocasiões
de estudantes que pintavam a cara
e na mais linda das mobilizações

Betinho de extrema sensibilidade
estendeu a luta pelo meio social
criando comitês de solidariedade
falando até de direito ambiental

A sociedade brasileira comovida
viu o menino sacudindo a nação
contra a fome, miséria, pela vida
de uma excluida, carente população

Claro que foi, algo bem comovente
na terra em que uma certa elite vil,
dorme retumbadamente e eternamente
neste berço explêndido, o Brasil

Betinho, o filho da Solidariedade
menino lá da nossa Minas Gerais
mirando, vislumbrando a eternidade
como CIDADÃO ÉTICO repousou na paz

Vento, irmão da humana Sociologia
o mineiro de Bocaiuva nos legou
tantas lutas Pela Vida, Cidadania
coisas por quais se imortalizou

Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara


segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Silvino Mendes


Silvino Mendes

O Trabalhador de Construção
Operário da Poesia

I

Vento meu menino companheiro
tu que gostas de cantarolar
vou te falar dum cancioneiro
um verdadeiro poeta popular

Lá de Bacuri dos maranhenses
onde alegria é cantoria, sim
Silvino rumou o solo paraense
pras bandas dos ares de Ananin

Bravo homem valente de guerra
trouxe no profundo do coração
saudades da gente da sua terra:
Maranhão, seu tesouro, seu chão

Pai amigo e esposo admirável
Silvino menino tem a vocação
de ser trabalhador incansável
humilde operário de construção

Homem firme forjado na batalha
ele caminha com todo seu vigor
cantando ao Deus que nunca falha
"Trabalhando no Labor, sem temor"

Sua voz tão pura como o orvalho
que sai regando o solo da canção
de tanto cantar Luís de Carvalho
muda o ambiente na construção

Silvino Mendes irmão cancioneiro
com sua alma cheia de inspiração
até nos andaimes dos canteiros
vive sempre em ritmo de louvação

Vento, o irmão Silvino, camarada
é um homem de tanta disposição
que à noite estende sua jornada
no trabalho de Evangelização

A sua Igreja Batista Boas Novas
centro de Ananin, pertinho aqui
em Vila Esperança, tá de prova
dessas coisas que eu falo pra ti

Ali, esse nosso guerreiro divino
não é somente o rei do multirão
mas é também um valoroso menino
que sabe a importancia dum irmão

Ele que sai pelas casas, lares
Cantor Cristão e Bíblia em mãos
leva pros mais variados lugares
A União de Homens, seus irmãos

Vento, muito longe da hipocrisia
um segredinho aqui vou te contar
Silvino, teu Operário da Poesia
ama muito a vida de Partilhar

Ele, no silêncio, discretamente
coleta farinha, arroz, feijão...
sempre pra ajudar alguém carente
um parente, um crente, um irmão

Vento, tu que amas as cantorias
sabias que esse menino ajudador
lá no santuário da sua alvenaria
aprendeu a ser um belo compositor ?

Sei que você não tem curiosidade
mas esse nosso camarada compositor
começou a partir da melhor idade
a fazer cantigas pro Deus Senhor

Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

Silvino Mendes


O Trabalhador de Construção
Operário da Poesia

II


Irmão Silvino não tem a experiencia
desses que ja vivem por ai de compor
mas ele é o cantor da preferencia
de todos que escutam o seu louvor

Vento, tu que entendes de poesias
sabes que as cantigas do meu irmão
formam uma verdadeira antologia
fruto de muita ação, fé e oração ?

Eu sei que tu vives cantarolando
nos teus assobios pra imensidão
pois tens visto Silvino cantando
o seu hino, "Coroa da Criação"

E ele canta pra nossa Comunidade
que "Jesus de Nazaré cheio de poder
é aquEle que acalma a tempestade"
e que "Filho de Deus, sou eu você"

Este lindo Silvino Mendes em poesia
vive dizendo através do seu cantar
que "Amanhã sempre será um novo dia,
certamente tudo poderá se tranformar"

Eita Silvino companheiro bonito
que sem precisar de back vocal
diz que lá pros rumos do infinito
"Existe um lugar de beleza eternal"

Homem que nas labutas, nas lidas
fala catarolando pros irmãos seus
que não pôde no "Deserto desta vida
resistir ao grande poder de Deus"

Vento, esse irmão sem nenhum alarde
também Louvor Saudade sai a entoar
"Fica, meu Senhor, já se faz tarde
porque tens meu coração para pousar"

Vento, meu irmão propagandista
registre o que estou a te dizer
um dia, Silvino, popular artista
ainda gravará seu sonhado cedê

Ele que com toda paciencia, calma
diz que a Bíblia, fonte do saber
enriquece e "Alimenta a sua alma
e transborda de vida o seu viver"

Que esse nosso lindo irmão Silvino
sempre prossiga "Rompendo em Fé"
nos fazendo lembrar aquele divino
menino Calebe companheiro de Josué

Camarada que tanto nos contagia
sejas sempre o nosso cantador
um humilde Operário da Poesia
que vive "Perseverando no Amor"

Tu que sempre te disponibilizas
na prática de quem ama o multirão
seja sempre o cara que socializa
na fé, na oração, a canção, o pão

Sejas sempre o irmão hospitaleiro
seguindo os passos do teu Jesus
cantando pros irmãos companheiros
Quão bom é vivermos ao "Pé da Cruz"

Eita mestre Silvino irmão amado
Coordenador da Escola Dominical
claro que este poema é dedicado
à linda Antonia, Tonica divinal


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

sábado, 16 de outubro de 2010

Lembranças dos Tempos de Navegação


Lembranças dos Tempos de Navegação

I

Vento dos sonhos profundos
quantas saudades me vem
das águas mais lindas do mundo
que banham a menina Santarém

Ali peixinho que dança
na flor da verde maré
alegremente balança
nas Festas do Sairé

É lá que o boto rosado
esbanja charme, sedução
e dança todo encantado
pras moças de Alter do Chão

E quando pedalo na minha Ananin
Lembro Itaituba, Belterra e Boim
pérolas desse lindo rio abençoado
meu Tapajós, límpido, esverdeado

De proporções oceânicas
vivo lembrando daqui
as águas amazônicas
de Parintins, Juriti

Águas de Itacoatiara
Almeirim, Óbidos, Gurupá
de rio Negro Manauara
Madeira, Xingu, Juruá

Águas que levam vida
ao Tajapuru do Regatão
rio de gente querida
que trago no coração

Juro mano Vento que ninguém consegue
não se encantar com Monte Alegre
Faro, Nhamundá, Breves, Bagre, Afuá
Boa Vista, Curralinho, Curumum, Muaná

Saudades dos empurradores
que mostram pra Mauiatá
Yammas, Caterpillas, motores
de Belém, Tucuruí, Cametá...

Por ali meninas e meninos
belos como os parintintins
olham o banzeiro cristalino
das águas do rio Tocantins

Tocantins, um menino rio
cantado em verso, canção
e cujo maior desafio
é lutar contra a ambição

Eu lembro um nosso poeta a cantar
"toca Tocantins tuas águas pro mar "
o capitalismo jamais irá te matar
viva tua linda vida a nos encantar


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

Lembranças dos Tempos de Navegação



Lembranças dos Tempos de Navegação

II

Vento mano da Amazonia
do açaizeiro, peconha
é grande a emoção
relembrar em poesia
no remanso da maresia
meus tempos de navegação

Lembro os embarcadiços
no comando, passadiço
tombadilho e convés
gente que se delicia
com a mana ventania
que agita as marés

E ali, da popa à prôa
todo mundo é gente boa
ninguém pensa só em
Que ambiente de harmonia!
A linda menina maresia
sabe do que digo aqui

Nunca me esqueço dessa gente amiga
que ama o mar e a embarcação
e que apesar de ser boa de briga
não suporta contendas, intrigas
o tempo todo vive em união

Nunca esqueci na vida
essa gente tão unida
que na balsa ou catamarã
tem tendência socialista
e vive como um altruista
com sua alma cidadã

Foi ali que um anarquista
que hoje virou Batista
viu na prática a lição
na genuina coletividade
da múltipla diversidade
respeitando cidadão

E viu que a marujada
é muito bem informada
pois nas vias fluviais
acompanha informativos
nos rádios, seres vivos
nacionais, transmundiais

Eu me lembro dum navegador bacana
da casa das máquinas um condutor
amigão que além da sua alma cabana
era verdadeira enciclopédia humana
chefe Lourenço, meu menino professor

Camarada Vento mano
meu menino soberano
claro que nunca esqueci
as histórias mais belas
ditas em meio as tigelas
e pratadas de açaí

Lembro irmãos marinheiros
comandantes, cozinheiros
gente de guerra e paz
que adquire conhecimento
com você meu mano Vento
nas avenidas fluviais

Bravos manos navegantes
são cavalheiros, amantes
no navio, na terra, no lar
E muitos fazem cantigas
pras suas belas amigas
em qualquer porto, lugar

Meu menino Vento amigo companheiro
não me arrependo das coisas que fiz
e hoje vivo a vida de farinheiro
ciente que sempre fui um verdadeiro
cidadão sem nenhum medo de ser feliz


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

Lembranças dos Tempos de Navegação



Lembranças dos Tempos de Navegação

III


Vento irmão do Amazonas
confesse baixinho pra mim:
Verdade que tu te apaixonas
pelas meninas de Ananin?

Sei que você nesta vida
mesmo sem gostar de harém
tem uma "Paixão" recolhida
pela Bella morena Belém

Sei que adoras um mimo
como o Marujo teu irmão
que em cada cais de arrimo
deixa uma eterna paixão

Sabes que tuas ribeirinhas marajoaras,
tão deslumbrantes quanto as manauaras
são guerreiras nos rios Guamá, Maguari
Laguna, Parauhau, Jararaca, jaburu, Arari?

Ventos do rio Jararaca
lembram as amigas dos rios
que amam balsas e barcas
empurradores e navios

Lindas amazonas encantadas
que lá no abandono total
são julgadas, discriminadas
pela hipocrisia imoral

Eu juro lindas sumanas
pelo nosso amor fluvial
um dia daremos bananas
pra essa hipocrisia imoral

Mulheres dos mais espantosos feitos
e que merecem todo carinho, respeito
Arriscam a vida na marola, maresia
pelo precioso pão nosso de cada dia

Sumanas que pegam marola
eu sempre com emoção
vivo com minha viola
lembrando peixe, camarão

Senhoras, moças, donzelas
que faço questão de dizer
são as mulheres mais belas
que um violão pôde ver

Mulheres do rosto risonho
que pelas vias fluviais
acalentam possíveis sonhos
enfrentando até temporais

Vento eu fui maquinista marinheiro
e cá hoje vivo a vida de farinheiro
Agradeço a Deus por que na navegação
aprendi a fazer verso, prosa, canção


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara



quinta-feira, 7 de outubro de 2010

JETRO FARINHEIRO


Jetro Farinheiro

Quando o sol nasce todo dia
lá esta ele com alegria
pesando nas palmas de suas mãos
a satisfação
a atitude
o objetivo

Para todo seu momento
não ter nem um lamento
só mantem no pensamento
o homem humilde e sagaz

Se as paralelas
se os lugarejos
e seus becos contassem
as vezes em que aqueles pés
firmes forcejando nas ladeiras
os pedais de sua cargueira
ou até por dentro dos lamaçais

Nada detem o velho farinheiro
de ser sempre um herdeiro
da Gloriosa Graça e Paz

Tem o tempo bem corrido
mas já deixa dividido:

No teclado do pc, poeta da vida
No violão, um instrumento de Deus
Para cada saca de farinha,
uma verdadeira rotina
de conquistar um mundo a mais



André Rodrigues

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Daniel Berg e Gunnar Vingren




Daniel Berg e Gunnar Vingren
Uma Dupla Parceria Em Cristo
I

Vento mano do lampejo, brilho
senta-te aqui, vou te falar
de dois caminheiros, andarilhos
que amavam a vida de evangelizar

Há cem anos, esses peregrinos
suecos lá pras bandas do tio sam
sonham um sonhado sonho divino
de abraçar a caminhada cristã

Chicago, uma cidade americana
viu que o sonho sonhado por lá
tinha tudo a ver com a Cabana
terra de um país chamado Pará

Depois de alguns dias de pesquisa
a dupla imediatamente se decidiu
embarcar pros rumos da mana brisa
que encanta todo o Norte do Brasil

Assim Daniel Berg, pastor obreiro
com Gunnar Vingren também de brio
se tornam nos maiores mensageiros
que o passado século vinte produziu

Esses missionários cheios de Vida
além do conforto espiritual
tiveram, sim, uma santa acolhida
dos irmãos Batistas na capital

Jovem, Berg, um valente guerreiro
se emprega numa companhia de Belém
na função de humilde caldeireiro
pra não viver a custa de ninguém

Enquanto o caldeireiro trabalhava
o outro com a mesma intrepidez
também se esforçava, estudava
pra poder repassar o português

Testemunha ocular da natureza
Vento, eu sei que os olhos teus
viram, contemplaram as proezas
desses dois servos do teu Deus

Claro, sei que tu tens um diário
relatando o sonho, a vida e ação
desses missionários visionários
em prol da santa evangelização

Eu sei muito bem que você sabe
a letra dum corinho de emocionar
falando que a Porta que Deus abre
o homem nunca, jamais poderá fechar

E a Porta aberta na Capital Cabana
deu origem a esse grande arraial
de uma gente alegre, assembleiana
que prega o evangelho pentecostal

Vento caminheiro que nunca cansa
tu sabes o que é "Romper em Fé" ?
- É caminhar pros rumos de Bragança
Trezentos Kilômetros andando a pé

Pois Daniel Berg, santo andarilho
andando por cima de ponte, igarapé
evangelizou ao longo dos trilhos
de Belém até Bragança do rio Caeté

O povão, as águas, canoas, remos
são testemunhas da paixão, ardor
do pastor que falava no dom supremo:
o AMOR do Espírito Santo do Senhor


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajo

Daniel Berg e Gunnar Vingren



Daniel Berg e Gunnar Vingren

Uma Dupla Parceria Em Cristo


II

Sorridente, guerreiro, valoroso
dizia num sotaque sueco puro tom
Irmãos, nosso Deus é Maravilhoso
Aleluia, Glória a Deus, Jesus é bom

Enfrentando obstáculos, imprevistos
os dois profetas no santo labor
formaram linda parceria em Cristo
e sempre dando a "Paz do Senhor"

E transformaram numa grande Seara
todas as regiões desse Brasil
inclusive a ribeirinha Marajoara
varando estirão de qualquer rio

Lembranças desses dois missionários
nos vem quando o irmão e a irmã
entoam as cantigas de um Hinário
a nossa antológica Harpa Cristã

E todos ficam muitos emocionados
cantando pro Deus de glória e poder
"QUE AQUELE QUE PõE A MÃO NO ARADO
SEGURO E CONSTANTE PRECISA SER"

Vento, meu menino cheio de vida
tu sabes de quem é essa canção ?
É da menina pastora irmã Frida
esposa do Gunnar Vingren teu irmão

Esse hino de irmã Frida, a poeta
uma mulher rompedora no Senhor
era a canção favorita, predileta
de Daniel Berg, teu evangelizador

Berg, Vingren puseram a Mão no Arado
e nunca, jamais olharam para trás
provando que um santo sonho sonhado
pode ser realizado na bendita paz

No Deus que cura, opera maravilhas
esses pastores com muita fé e unção
deram a tua marajoara, linda Ilha
toda uma carinhosa e pura atenção

Vento mano parauara, guajarino
sei que vistes o divino porta voz
Daniel Berg cantarolando hinos
remando até o Amazonas e sua foz

Por isso que um Arraial Assembleiano
se vê em cada rio do nosso Marajó
para a honra e glória do Soberano
Deus de Abraão, de Isaque, de Jacó

Berg, Vingren, que fizeram história
vislumbrando um pais chamado Pará
um dia entoarão pro Deus da Glória
"Pra Terra Celeste Meu Barco Andará"

Por terem postos as "Mãos no Arado"
louvarão para todo o sempre, amém
"Junto ao trono desse Deus Preparado"
lá pra "Sião", a "Formosa Jerusalém"

Hoje, quando a "Assembléia abre o culto"
do pequeno ao adulto, todos sabem bem
que estão colhendo um sagrado fruto
semeado na hospitaleira bela Belém

Como a Rosa de Saron maravilhosa
a Assembléia de Deus cantando, traduz
que achou um linda "Flor Gloriosa"
cujo o perfume precioso é Jesus


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Dom Paulo Evaristo Arns























Dom Paulo Evaristo Arns



Mano Vento que nos seus encantos
é o senhor do seu próprio querer
quero te falar d’um homem santo
que soube fazer a hora acontecer

Tempo em que a pátria idolatrada
sonhava com a volta do irmão do Henfil
ela era estuprada, violentada
por agentes da baioneta, do fuzil

Dias tenebrosos, e a ditadura
empurrava goela abaixo da nação
um tal de A I Cinco, com
censura
mergulhando o país na escuridão

Vento que na liberdade absoluta
sabe e muito bem aquilo o que quer
tu sabes não haver FÉ sem LUTA
pelos direitos do homem,da mulher


Sei que além das dores e prantos
que vistes nos terríveis porões
tu testemunhastes pelos recantos
parceria das flores com as canções

Sei também que além de tudo isto
lá no íntimo do teu lindo coração
vias o nosso Dom Paulo Evaristo
ser um porta voz da indignação

Divina, consciente, inconformada
a voz desse belíssimo cardeal
mesma sendo doce, compassada
fez estrago no regime ditatorial

E a postura de Dom Paulo Evaristo
nas noites tenebrosas do Brasil
parecia ser a do próprio Cristo
contrária a baioneta e o fuzil

Sua arquidiocese foi uma trincheira
a serviço da redemocratização
da pátria, salve, salve, brasileira

vítima da mais terrível repressão

Dom Paulo porta voz da liberdade
sempre deu apoio
às pastorais
às mais lindas das Comunidades,
as CEBs, santas Bases Eclesiais

O santo incansável Paulo Evaristo
que criou a Comissão Justiça e Paz
também é o autor do famoso escrito
anti tortura "Brasil Nunca Mais"

Esse
Corintiano Frade Franciscano
também no seu oficio de pastor
soube desafiar o próprio Vaticano
com o seu jeito puro, libertador

Vento, você sabe o que é um encanto
irresistível como um canto natural?
Encanto é ver o sorriso terno, santo
desse libertário menino cardeal

É encanto das almas inspiradoras
que faz a diferença num
sorrir
lembrando Zilda Arns, uma pastora
a que partiu em Missão no Haiti

Por seus grandes feitos realizados
Em defesa dos movimentos sociais
Dom Paulo foi várias vezes indicado
para ganhar o prêmio Nobel da Paz



Jetro Fagundes

Farinheiro Marajoara

domingo, 15 de agosto de 2010

Maria do Céo, a mãe da minha flor


Maria do Céo,

a mãe da minha flor


Lá pros rumos da minha Itabira
bem pertinho do amigo Paturi
meu mano Vento inspirado mira
o sol nascente, poente do Maguari

Por ali andava certa guerreira
que nessas terras do Maguarí
levava vida de viúva roceira
sempre estampando o seu sorrí

Itabira estrada das margaridas
seu lindo arboredo encantador
sabe toda a trajetória de vida
dessa roseira mãe da minha flor

Roseira do sorriso transparente
que no jeito meigo, cativador
retrata alguém que francamente
fala seriamente, mas com dulçor

Sorriso que tem seus recheios
de suavidade e um doce calor
da mulher que nunca tem receio
de praticar o seu dom do amor

Cheia de graça, a linda Maria
sempre incansável mulher de fé
transformava em lavanderia
as águas dum lendário igarapé

Ela que foi forjada nas enxadas
e nas sensiblidades dos roseirais
tem uma incomparável gargalhada
que soa como notas musicais

Por isso que a Quinta da Carmita,
rua mais tradicional dos Ananins
diz que a do Céu Maria é bonita
por ter o perfume dos jasmins

Linda Maria, tu que nos empecilhos
soubesses, e muito bem prevalecer,
criastes com amor filhas e filhos
todos encantados que nem você

Maria do Céo, mãe da minha pricesa
e também de uma outra santa daqui,
aquela que nós chamamos de Teresa
lá das bandas do Açude do Maguari

Esse singelo poema, prosa e verso
hoje deixo pro teu carinhoso sorri
pela dádiva mais linda do universo:
A Flor de Ananin que ganhei de ti

Chegastes na idade da sabedoria
e pelo Deus que sempre te protegeu
digo a você linda, encantada Maria
claro que me considero um filho teu

Sempre admirei os teus carinhos
a vida impecável e cheia de brio
no lar e nos albergues de velinhos
e na linda Maurícia, a beira rio

Num desses dias, no teu cantinho
com o vento meu mano inspirador
te tocaremos um Padre Zezinho
que faz cantigas pro teu Senhor

E aí na Maurícia, um doce recanto
lembraremos às margens da nossa maré
uma outra santa que com seu manto
deu encanto a um Jovem lá de Nazaré

Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Ayrton Senna


Ayrton Senna

I

Vento meu menino recordista
de velocidade e imaginação
lembro o maior automobilista
Ayrton Senna, genio campeão

Menino revelado desde a fase
que se vislumbra um vencedor
a famosa categoria de base.
E o Kart é isso prum corredor

Ayrton começou a ganhar fama
dando pinta de grande campeão
com um motor de aparar grama
num Kart feito por seu paizão

Ainda nas pequenas categorias
Ayrton Senna ja dava o sinal
de que um dia, claro, seria
um verdadeiro campeão Mundial

Na América do Sul, Inglaterra
e nas mais variadas regiões
nos autódromos de toda a terra
vencia inúmeras competições

Um dia numa humilde escuderia
ele vai pra fórmula principal
onde certamente continuaria
sendo sempre um piloto genial

Da Toleman, uma equipe modesta
vai pra Lotus dum melhor motor
e continua sendo dono da festa
com seu carro mais competidor

Vento que sabe de toda história
várias vezes vi tua empolgação
com tantas e muitas vitórias
de Senna dando show de condução

Show nas pistas da terra inteira
Monza, Ímola, Suzuka, Jacarepaguá
Hockenheim, Jerez de la Frontera
Villeneuve, em Montreal, Canadá

Via toda uma gente apaixonada
deixando tudo somente pra ver
ronco dos motores e largadas
e nosso menino sempre vencer

Quando Senna foi pra Mclaren
e sagrando-se campeão mundial
tu vias pessoas se emocionarem
ouvindo um tema, hino triunfal


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

Ayrton Senna


Ayrton Senna

II

Vento várias vezes vi sorrindo
você todo contente pela manhã
ou tarde de domingo, dia lindo
ouvindo o lindo Tam, tam, tam

Esse tam, tam, tam que se ouvia
tinha lá no seu fundo musical
algo que parece uma sinfonia
dum côro de vitória angelical

Via alegria nas arquinbancadas
de Monza, Silverstone, Estoril...
quando a bandeira quadriculada
era pra Ayrton Senna do Brasil

Em Mônaco, pra falar a verdade
onde foi cinco vezes vencedor
Ayrton se tornou uma majestade
um príncipe, monarca, imperador

Pisando firme, bem lá no fundo
e sem contar com auxílio nenhum
foi Três Vezes Campeão do Mundo
em 88, noventa, noventa e um

Dotado de um extremo talento
esse brasileiríssmo campeão
parecia ser teu filho, vento
voando baixo, sem sair do chão

Nesse tempo outros competidores
também sabiam muito bem correr.
Pilotos, verdadeiros professores
Prost, mansell, Lauda, Piquet...

Tempos das românticas corridas
prazeirosas, linda, té de mais.
A Fórmula Um era cheia de vida
com os seus mestres magistrais

Mas no seco ou mesmo na chuva
turbinado ou com convencional
nas linhas retas ou nas curvas
o Ayrton Senna era fenomenal

Ele era na verdade das verdades
tão fenomenal, tão sensacional
e batia recordes de velocidades
que a "POLE" virava coisa normal

E quando um dia o nosso menino
partiu num ponto cinistro, atroz
numa das curvas de San Marino
deixou um vazio no meio de nós


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

Ayrton Senna


Ayrton Senna

III

E na fatídica curva Tamborello
esse homem pra lá de fenomenal
se torna num magnífico, belo
cidadão do Infinito, imortal

Apesar de ser uma celebridade
era um cara super cativador
sem nunca perder a humildade
pois não gostava de se expor

Meio tímido, um tanto reservado
camarada meigo, terno, gentil
parecia ser alguém encantado
que veio dar vida ao Brasil

E mesmo sendo rico, realizado
Ayrton Senna era um cidadão
que demonstrava ser preocupado
com os problemas da sua nação

Vendo a miséria do brasileiro
como um sonhador e realizador
abre mão da parte do dinheiro
em prol de seu povo sofredor

Vento, teu menino encantado
sem buscar pra si promoção
deixou quase tudo projetado
para uma certa organização

E olhando a iniciativa serena
da organização nao governamental
o lindo Instituto Ayrton Senna
pra muitos é algo bem essencial

Organização sem fins lucrativos
sempre busca como meta principal
manter os sonhos e ideais vivos
dum ser preocupado com o social

Eleito por todos os competidores
como o campeão dos campeões
Ayrton é o maior dos corredores
desta e das antigas gerações

Lindo, lindo,lindo amigo das massas
o meu Corinthians foi a sua Paixão.
A Fórmula Um já nem tem mais graça
hoje vive ai sem vida, sem emoção

Mestre dos mestres, mago dos magos
nosso Ayrton vive em outra dimensão
no " S " do Senna lá de Interlagos
e no bem profundo de cada coração


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

terça-feira, 20 de julho de 2010

Josué Fagundes, o paizão dos seus manos


Josué Fagundes
o paizão dos seus manos

I

Vento leal, companheiro
que canta pra navegação,
pro filho dum timoneiro
o teu, meu lindo irmão

Cante, fale das proesas
a garra e a dedicação
coisas que nas correntezas
claro que gravadas estão

Diga que desde bem cedo
ele foi no seu Deus Javé
braço esquerdo e direito
da mãe, a Marajoara de Fé

Cante pra tua maresia
do Pacajá, Laguna, Anapu
Camarapi, Jaburu, Companhia
Amazonas, Xingu, Tajapuru...

E cante bonito pro meu Rio Baiano
Marajoara do Arraial Assembleiano
e diga que o meu mano empreendedor
no Deus Soberano é mais que vencedor

Claro, eu sempre lembro
quando me ponho a tocar
que de janeiro a dezembro
vivia pra nos ajudar

Saiba que lembro de tudo
e faço questão de contar
que sacrificou os estudos
pra bem cedo trabalhar

E a cidade da passarada
Breves um tão lindo lugar
lembra o menino camarada
que mantinha o seu lar

Ali avenidas e estradas
sim, viam meu mano Josué
cedinho, ainda madrugada
firme, disposto, de pé

E tu que cirandeias nas cantorias
és testemunha da dor, da euforia
do mano que depois das padarias
pegava pesado no Lorival serraria

Quando mudamos de cidade
além da Breves do coração
também veio a fidelidade
desse exemplo de irmão

Veio com a mãe querida
à Belém Cabana Capital
sempre no Deus da vida
sendo o esteio principal

Irmão de Fé, verdadeiro
cavalheiro mano paizão
era vendedor de temperos
além de operário tecelão

Na Graça, Paz e Alegria
do Deus, Senhor Adonai
morando nas periferias
Josué estudava no Senai

Neste Centro Profissional, dinâmico
fez cursos de eletrecista, mecânico
e se tornou num eximio expecialista
operador de máquinas, tratorista



Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

Josué Fagundes, o paizão dos seus manos



Josué Fagundes
o paizão dos seus manos

II

Querido irmão mais velho
que levava os manos seus
pro caminho do Evangelho
à Casa do seu Senhor Deus

Soube exercer influências
daquele irmão condutor
com a devida paciência
NA GRAÇA E NA PAZ DO SENHOR

Companheiro, camarada
como humilde batalhador
não deixava faltar nada
principalmente o amor

E digo aqui mano Vento
jurando por teu Violão
eu nunca ouvi lamentos
sequer uma reclamação

E mesmo tu sendo cheio de ternura
sei que também fazes travessuras
juro que as palmadas que eu levava
doia um pouquinho, mas logo passava

Eu que nunca fui santo
só tenho que agradecer
em prosa e verso, canto
e sem jamais esquecer...

Que o mano da alma minha
sim, me criou, me educou.
E com sacas de farinha
lá no inicio me ajudou

Lembro as duras lidas
o labutar, o batalhar
e intermináveis partidas
de damas, em nosso lar

Numca esqueci a peleja
na bela exemplificação
nos serviços da igreja
evangelismo, multirão

Vento, tu que tens a mais boa memória
sabes que um dia contarei toda história
desse teu navegante companheiro de fé
Marajoara Cabano, meu lindo mano Josué

Hoje junto a natureza
lugar que lembra o céu
ele vive com Teresa
nessa belíssima Portel

Senhor dos seus trilhos
continua no caminhar
de ajudar netos e filhos
sem jamais se cansar

Vento sei que você sabe
Josué Fagundes batalhador
virou um dono de cyber
inovador, empreendedor

E continua sendo amante
mesmo depois do Senai
da vida de navegante
tal como o saudoso pai

Mano, lembrando tudo o que voce ja fez
eu te dedico o Salmo cento e vinte e seis
E minha viola pra ti sempre cantarolará
"quem planta na dor com alegria colherá"


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Um Senhor Time I


Um Senhor Time

I

Vento, tu que ginga, balança
pra tua menina, a embarcação
sopre as bonitas lembranças
de uma antológica seleção

Fale do teu Escrete Canarinho
que lá no gramado espanhol
jogava com todo amor, carinho
em rodízio, parecendo gira sol

Um time pra lá de fantástico
com destaque todo especial
para um senhor Quadrado Mágico
poético, fabuloso, monumental

Diga por que as espanholas
ainda vivem até hoje a sonhar
com Sócrates, doutor da bola
um paraense de belo calcanhar

E sempre lembram o empolgante
Cérebro daquela seleção
menino dos passes elegantes
gaúcho, Paulo Roberto Falcão

Naquele Timaço, um menino
jogava com classe magistral
carioca Galinho de Quintino
Zico, simplesmente genial

Lembram de um volante de peso,
cabeça de área excepcional
o mineiro Toninho Cerezzo
a alma do escrete nacional

Que linda seleção maravilhosa!
Jogava como se estivesse a bailar
dando na base do verso e prosa
show de espetáculo popular

Ninguém esquece as pinturas
de Leandro, Junior, laterais.
E gols de Eder, por coberturas
feituras lúdicas e reais

Lembro de Oscar e Luizinho
craques zagueiros centrais
que jamais davam carrinhos
nem faziam jogadas desleais

Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

Um Senhor Time II



Um Senhor Time

II

Aquele belo escrete Canarinho
por suas estrelas de montão
com Valdir Peres e Serginho
era no fundo uma constelação

Para ser sincero, bem franco
dava gosto, sim, da gente ver
pois tinha professor no banco
um mestre de verdade, Telê

Um escrete fabuloso, incrível
poético, singelo, fenomenal
parecia ser time imbatível
mesmo tendo perdido o mundial

Vento, ás vezes fico lembrando
ah! Se eu pudesse deixar pra lá
juro que até tu eu vi chorando
numa tarde tristonha do Sarriá

E quando esse belo selecionado
voltou sem o título de Campeão
foi pelo torcedor apaixonado
acolhido, recebido de coração

E se não foi Campeão do Mundo
essa geração do Mestre Telê
Vento, foi no fundo, bem fundo
a melhor que eu já pude ver

Era um timaço tão envolvente
que naquele gramado espanhol
jogava o tempo todo pra frente
sempre dando aulas de futebol

Foi ali que toda uma torcida
começou em ritmo de carnaval
a deixar as ruas coloridas
com as cores da Bandeira Nacional

A cantoria me disse certo dia
que quase três décadas depois
nunca mais viu Futebol Magia
como o Time de Oitenta e Dois

E ela disse que num desses dias
seja em sonho ou na vida real
aquele Futebol feito de poesia
ainda será Campeão Mundial

Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

domingo, 27 de junho de 2010

Ana Mel


Ana Mel

A Amiga da Comunidade


Sinto saudades de você amiga
quando escuto algumas cantigas
na casa do meu camarada Natã
o teu amigo, companheiro e fã

E quando falamos de ACADEPÊ
todas as violas tocam por você
lembrando os tempos de alegria
da nossa Academia de Periferia

Os teus gestos de solidariedade
fazem muita falta na comunidade
nas mais belas das maravilhas:
As ações de vida, amor e partilha

Ninguém esquece a socialista
hospitaleira da João Batista
dando abrigo aos amigos de fé,
se doando desde a hora do café

Você nos lembra a linda brisa
aliviando a dor de quem precisa
de uma palavra amiga, uma canção
ou até mesmo dum pedaço de pão

A tua voz doce, serena, bonita
fez de você a menina favorita
e musa dos amigos verdadeiros
que amam as violas e tabuleiros

Fique sabendo companheira minha
que além de musa tu és a rainha
de todos os tabuleiros de xadrez
fãs, admiradores da tua altivez

E todos os teu fãs, admiradores
ja sabem que tu rendes louvores
ao Deus Eterno, o Senhor da Vida
o protetor de uma gente excluída

Amiga dos sem terra e sem estudo
você que sempre dá jeito pra tudo
continue sendo essa missionária
transformadora, linda libertária

Que você seja a mulher mais feliz
em Ananin, Belém, Caienna ou París.
E é desejo dos companheiros teus
que sempre cantes ao senhor teu Deus

Nunca deixes de ser a auxiliadora
irmã que leva na fé libertadora
uma visão de que bondade e caridade
identificam uma Cristã de verdade

Nunca, jamais deixes a caminhada.
Persevere cada vez mais encantada
sem dar a mínima pra hipocrisia
de quem nem liga pra cidadania

Quando poderes companheira minha
venha cantar uma daquelas modinhas
das belas Rodas de Comunidades
pois as Violas morrem de saudades


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Castanholando Na Espanha


Castanholando Na Espanha


Amiga que também barcarola
Admirando as cordas da Viola
Que vibram somente pra ti
Vem comigo ver as castanholas
onde as mais belas espanholas
Posavam pra Picasso e Dali

Tirarei das páginas da memória
Algumas das muitas histórias
Que se contam lá e aqui
Coisas lindas, tão deslumbrantes
Que remontam Miguel de Cervantes
e bravos resistentes de Madri

Falarei de Dolores La Pasionária
Fabulosa musa revolucionária
que os ventos irmãos meus
dizem que vive ainda na Espanha
lá pro rumo da basca montanha
nas cordilheiras dos Pirineus

Vem que mostrarei as maravilhas
só vistas em Málaga e em Sevilha
que nos enchem de admiração.
Verás também a linda Barcelona
a Catalã capital que impressiona
seu povo e visitante cidadão

E nós iremos ver a pura essência
das FALLAS Culturais de Valência
cidade em que podemos encontrar
o mais lindo aquário do mundo
que no fundo, bem lá no fundo
foi construído para teu olhar

Quando a gente for ver a tourada
direi numa arena, arquibancada
que a mais linda dali é você.
E nesse dia, meu lindo tesouro
juro pelos perseguidos touros
que o toureiro vai se vê

Venha linda menina encantada
vem comigo passar uma temporada
Confabulando sem parar
na terra amiga da Latina América
a predestinada Península Ibérica
onde a vida é castanholar


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

quarta-feira, 9 de junho de 2010

LINDA COMO A FLOR DO MANDACARU



LINDA COMO A FLOR DO MANDACARU


Menina amiga maravilhosa
quem te fez tão linda assim ?
Será que foi uma rosa
do mais encantado jardim.

Quem sabe se não foi a magia
contida numa doce canção
que faz com que nasça o dia
nas noites de pura solidão

Ou será que foi a beleza
de uma cantoria de amor
tocada com toda delicadeza
pro teu sorriso encantador?

Quem sabe se não foi a magia
dos remansos do meu rio mar
que pororocando sinfonias
toca pra esse teu lindo olhar

Talvez tenha sido a primavera
que te fez tão linda assim
pra que uns versos de espera
tu composse somente pra mim

Ah, minha meiga linda amiga
dessas coisas não sei dizer.
Eu só sei que minha cantiga
hoje faço somente pra você

Hoje todos os meus versos
vão rumando tua direção
Só te imploro, cá te peço
guarde-os no teu coração

E que sejas a encantada
que inspira o Uirapuru
a cantar pra delicada
Linda Flor do Mandacaru


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Chico Mendes


Chico Mendes

Precursor Dos Debates Ambientais

I

Vento, grande mano consciente
defensor do rio, do matagal
lembro o companheiro valente
precursor do debate ambiental

Em plena época da ditadura
contra o patrão do capataz
surge uma voz serena e dura
protegendo os manos seringais

Chico Mendes Filho da Floresta
corajoso, guerreiro sindical,
era liderança honrada, honesta
que defendia trabalhador rural

Sua alma socialista, igualitária
dava-lhe a convicção total
de que só uma reforma agrária
promoveria a justiça social

Exemplo de líder sindicalista
Chico Mendes foi parceiro amigão
dos conselhos indígenistas
e do querido ribeirinho irmão

Defensor amigo, formidável
da mãe terra, o sagrado chão
do desenvolvimento sustentável
meio ambiente, conscientização

Como trabalhador extrativista
tinha grandiosa preocupação,
enquanto líder sindicalista,
com desmatamento, devastação

O guerreiro líder verdadeiro
chamou a atenção internacional
para o drama dos seringueiros
e de todo ecossistema natural

Ardente defensor da natureza
junto a trabalhadores rurais
inventou métodos de defesas,
técnicas de EMPATES, corporais

Vento, diga o que é um EMPATE
na pura linguagem ambiental
- Empate é ser martir nos embates
defendendo reserva florestal


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

Chico Mendes


Chico Mendes

Precursor Dos Debates Ambientais

II

Chico e as manas Castanheiras
velhos, crianças, gente de ação
abraçavam-se às seringueiras,
lhes davam inteira proteção

E por ter sido valente, ousado
contra o sistema irracional
foi torturado e enquadrado
na lei de segurança nacional

Sofreu calúnia e injustiça
poderosa, covarde retaliação
da parte de agentes da cobiça
que mandam e desmandam na nação

Grupos fazendeiros, madeireiros
grileiros, a oligarquia atroz
ameaçavam matar o seringueiro
tentando amordaçar a sua voz

E por ter permanecido ousado
um dia esse líder trabalhador
foi atocaiado, emboscado
pelo sistema covarde, matador

Até mesmo o Riacho Ipiranga
e o verde e amarelo nacional
choraram quando alguns capangas
assassinaram o líder sindical

O seu sangue hoje fertiliza
o solo do coração dum irmão
que encorajado pela brisa
luta até nos mares do Japão

Sua voz singela e libertária
do Acre, da Brasiléia, do Xapuri
criou consciência planetária
que sempre ecoará aqui e ali

E ecoa em todos que tem sede
e fome de algo fundamental:
uma justiça voltada pro Verde
na Paz do Ecossistema natural

A voz do valente Chico Mendes
ecoa alem do infinito sideral,
lá na alma de quem nunca se vende
ao perverso capitalismo canibal


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Madre Teresa de Calcutá



Madre Teresa de Calcutá

A Santa das Sargetas

I

Vento mano do rio, da mata
e de quem navega a cantar
sopre as lembranças da beata,
uma santa mulher de Calcutá

Agnes Bojaxhiu, madre Teresa
no olhar da fé fez profissão
de cuidar com amor e pureza
daquele que vive na exclusão

Albaneza de origem Macedônia
foi pra Índia cuidar do povão
com um amor que só a amazônia
consegue imaginar a vastidão

Teresa de ação, idealizadora
ela, sendo ainda uma aprendiz
se torna santa alfabetizadora
das pobres crianças do país

Pastora do irmão necessitado
madre que na ação do partilhar
lembrava o Cristo Ressuscitado
pescando e ensinando a pescar

Missionária, guerreira linda
fazia uma atividade social
que a deixava mais linda ainda:
"Sem um centavo governamental"

Vento, meu irmão tempestuoso
sei no teu dom da compaixão
tu banharias um homem leproso
sem querer em troca um tostão

Criançada, juventude e idosos
tem muitas histórias pra contar
da Santa que banhava leprosos
nas Sargetas lá de Calcutá

Viúvas, aleijados de muletas
sem tetos, gente sem hospital
lembram a santa das sarjetas
menina do sorriso angelical

Fantástica menina Carismática
que com Fé no Deus Libertador
pelas ruas colocou em prática
o Ágape, Dom Supremo do Amor


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

Madre Teresa de Calcutá


Madre Teresa de Calcutá
A Santa das Sargetas

II

Vento que rompe estruturas
ja dissestes pro meu violão
que um sorriso salva e cura
dores do corpo e do coração

Teresa dum jeito bem conciso
dizia dando exemplificação
que a paz começa com um sorriso
pré disposto a ajudar um irmão

Vento sensível como a aurora,
e tão forte quanto o jatobá
sei que no silêncio tu choras
lembrando a Santa de Calcutá

O mais lindo coração humano
que o século vinte produziu
foi pro povo pobre Indiano
o que tu, vento, és pro rio

Seu trabalho santo, abençoado
rompia fronteiras e religiões
chegava até aos encarcerados
e povos de todas as regiões

Linda, reflexiva Madre Teresa
dizia no seu profundo pensar:
Nunca ame ninguém pela beleza
e nada detenha teu caminhar

Sem menor apego às riquezas
Teresa falava à população
"A maior de todas as pobrezas
é a falta do amor no coração"

Doar nem sempre é importante
o importante é como se dá.
Belas frases interessantes
ditas pela Santa de Calcutá

Sua vida junto a despossuidos
nas ações sociais, pastorais
rendeu-lhe galardão merecido
o valioso Prêmio Nobel da Paz

E quando um dia foi recolhida
que nem Maria, outra Santa Fiel
foi recebida pelo Deus da Vida
por ter cumprido bem seu papel


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Martin Luther King Jr


Martin Luther King Jr
Um Homem Chamado Pastor

I

Vento parceiro da liberdade,
sei que te lembras até de mais
dum Pastor Profeta de verdade,
amigo da Justiça e da Paz

Pastor americano libertário
que no ardor da fé, da paixão
sem tá nem aí para salário
foi pra rua defender irmão

Tempos do eterno mau caratismo,
cem anos após a abolição
imperava o segregacionismo
sob as bençãos da constituição

O segregacionismo era uma peste,
negro nem podia direito andar
da costa leste a costa oeste,
de Miami à fronteira com o Canadá

Negro estampava em sua face
o horror e a indignação
do cidadão de segunda classe
num país que exporta religião

Pra se ter uma idéia, ora veja
do quanto o racismo era geral,
pasme! Até mesmo nas igrejas
o Segregacionismo era banal

Negros sofriam desrespeitos
no ônibus, colégio, hospital
e o cúmulo do preconceito:
Sem direito ao voto universal

Branca de tanta imoralidade
certa casa símbolo da opressão
dava plena institucionalidade
a esse regime de separação

Nesse tempo só mesmo atabaques,
irmãos das inquietudes sociais,
protestavam contra os ataques
das leis racistas, imorais

Os negros, na verdade das verdades
só viam seus direitos serem iguais
nos momentos da pura irmandade
nos terreiros dos seus ancestrais



Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

Martin Luther King Jr



Martin Luther King Jr
Um Homem Chamado Pastor

II

Quase em ritmo de prosa e verso
Luther King disse em claro tom:
"Pior que o grito do perverso
é o covarde silêncio de um bom"

Lindo Pastor Martin Luther King
sem o menor medo de ser feliz
transformou a rua em santo ring
na luta pelos Direitos Civis

Com apoio da Divina Providencia,
negros, índios e brancos do povão
vão fazer uso da não violência
contra o regime de segregação

Com reais ações transformadoras
paciência, fé e moderação
faz uso de técnicas inovadoras:
Greve de fome, piquete, ocupação...

Coisas que o seu Deus soberano
do Alto lhe dava orientação
e que Gandhi, um líder indiano
lhe enchia de inspiração

Porta voz da Fé, da Liberdade
honrando seu Chamado Pastoral
ocupava prédios, universidades
e até corte suprema federal

Ruas, praças, quadras, passarelas
todas ainda podem testemunhar
as passeatas mais lindas, belas
na força do movimento popular

Tendo a frente o pastor, profeta
a grande, magnífica multidão
com faixas, cartazes, fazia festa
protestando contra a segregação

Nessas impressionantes, magníficas
singelas, divinas manifestações,
a santa ira humana, bem pacífica
fazia as mais bonitas orações

E o Vento sonhador e consciente
diz que o próprio Deus Libertador
nas ruas também se fez presente
caminhando ao lado do seu pastor


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara


Martin Luther King Jr


Martin Luther King Jr
Um Homem Chamado Pastor

III

Martin Luther King Pacifista
real cumpridor do seu papel
de Reverendo Pastor Batista
se tornou um Cidadão do Céu

Pastor consagrado, tão ousado
que na plena terra do Tio Sam
disse em tom também indignado
"Um Não a Agressão ao Vietnã"

Nunca, em todo o seu apostolado
ele se curvou ante o mau
pois todo profeta mudo, calado
não passa de um agente de baal

Internacionalmente respeitado
pelos seus feitos imemoriais
foi dignamente contemplado
com lindo Premio Nobel da Paz

E se um dia também foi alvejado
pelas balas do vil opressor,
até nisso deixou um recado:
Servo não é maior que seu Senhor.

Todo servo que nunca se cala
diante das leis injustas, imorais
sempre tá sujeito a levar bala
desses pistoleiros de satanás

Martin Luther King martirizado
por peitar a lei do seu doutor
pra todo o sempre será lembrado
como verdadeiro exemplo de Pastor

O que os companheiros das estradas
fazem hoje em prédios e ocupações,
o Sonhador Pastor, em caminhadas,
fazia nas estações, repartições...

E no Céu de Atlanta, das Carolinas,
do Texas... a Águia e o Condor
cantam em memória à Voz Divina
desse Homem Chamado Pastor

Cantam pois seu sonho tão sonhado
hoje em dia é plena realização:
Negro pode votar e ser votado
e até ser presidente da nação


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara