quarta-feira, 19 de maio de 2010

Madre Teresa de Calcutá


Madre Teresa de Calcutá
A Santa das Sargetas

II

Vento que rompe estruturas
ja dissestes pro meu violão
que um sorriso salva e cura
dores do corpo e do coração

Teresa dum jeito bem conciso
dizia dando exemplificação
que a paz começa com um sorriso
pré disposto a ajudar um irmão

Vento sensível como a aurora,
e tão forte quanto o jatobá
sei que no silêncio tu choras
lembrando a Santa de Calcutá

O mais lindo coração humano
que o século vinte produziu
foi pro povo pobre Indiano
o que tu, vento, és pro rio

Seu trabalho santo, abençoado
rompia fronteiras e religiões
chegava até aos encarcerados
e povos de todas as regiões

Linda, reflexiva Madre Teresa
dizia no seu profundo pensar:
Nunca ame ninguém pela beleza
e nada detenha teu caminhar

Sem menor apego às riquezas
Teresa falava à população
"A maior de todas as pobrezas
é a falta do amor no coração"

Doar nem sempre é importante
o importante é como se dá.
Belas frases interessantes
ditas pela Santa de Calcutá

Sua vida junto a despossuidos
nas ações sociais, pastorais
rendeu-lhe galardão merecido
o valioso Prêmio Nobel da Paz

E quando um dia foi recolhida
que nem Maria, outra Santa Fiel
foi recebida pelo Deus da Vida
por ter cumprido bem seu papel


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

3 comentários:

Gladis disse...

É impressionante a tua sensibilidade Jetro
Este estilo terno e engajado de dizer as coisas é algo muito bom
e humano.E poderia acrescentar ainda meio raro nas pessoas.

Abraços poéticos
e toda a minha admiração!

costa disse...

Mas uma vez,meus parabens por seu
incrivel trabalho!e que voce continue
escrevendo! abracos desta adimiradora!rs

Anônimo disse...

Já quase no final da vida, ela participa de uma reunião da sua organização com todos os diretores, que trabalhavam no desenvolvimento de novos projetos. Sentada à mesa, ela pergunta a um dos membros da ONG quanto tinha custado uma pequena garrafa de água mineral que estava bebendo.

Ela desconfiou que, pela aparência do local, alguma coisa não ia bem por ali. O rapaz respondeu: “quatro dólares, senhora”, isso foi o suficiente para que Madre Teresa decidisse, ali mesmo, acabar com a ONG. Para ela, uma instituição que trabalhava em favor dos carentes e necessitados não podia se dar ao luxo de pagar tal preço em uma pequena garrafa de água mineral.