sexta-feira, 28 de maio de 2010

Chico Mendes


Chico Mendes

Precursor Dos Debates Ambientais

II

Chico e as manas Castanheiras
velhos, crianças, gente de ação
abraçavam-se às seringueiras,
lhes davam inteira proteção

E por ter sido valente, ousado
contra o sistema irracional
foi torturado e enquadrado
na lei de segurança nacional

Sofreu calúnia e injustiça
poderosa, covarde retaliação
da parte de agentes da cobiça
que mandam e desmandam na nação

Grupos fazendeiros, madeireiros
grileiros, a oligarquia atroz
ameaçavam matar o seringueiro
tentando amordaçar a sua voz

E por ter permanecido ousado
um dia esse líder trabalhador
foi atocaiado, emboscado
pelo sistema covarde, matador

Até mesmo o Riacho Ipiranga
e o verde e amarelo nacional
choraram quando alguns capangas
assassinaram o líder sindical

O seu sangue hoje fertiliza
o solo do coração dum irmão
que encorajado pela brisa
luta até nos mares do Japão

Sua voz singela e libertária
do Acre, da Brasiléia, do Xapuri
criou consciência planetária
que sempre ecoará aqui e ali

E ecoa em todos que tem sede
e fome de algo fundamental:
uma justiça voltada pro Verde
na Paz do Ecossistema natural

A voz do valente Chico Mendes
ecoa alem do infinito sideral,
lá na alma de quem nunca se vende
ao perverso capitalismo canibal


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

3 comentários:

juliana bandeira disse...

Congratulations!
Your blog is increasingly fscinante.
BJS!

Raquel disse...

parabéns poeta,por retratar a vida desse grande homem,que deixou sua marca na história .

lupa.sa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.