quarta-feira, 28 de julho de 2010

Ayrton Senna


Ayrton Senna

II

Vento várias vezes vi sorrindo
você todo contente pela manhã
ou tarde de domingo, dia lindo
ouvindo o lindo Tam, tam, tam

Esse tam, tam, tam que se ouvia
tinha lá no seu fundo musical
algo que parece uma sinfonia
dum côro de vitória angelical

Via alegria nas arquinbancadas
de Monza, Silverstone, Estoril...
quando a bandeira quadriculada
era pra Ayrton Senna do Brasil

Em Mônaco, pra falar a verdade
onde foi cinco vezes vencedor
Ayrton se tornou uma majestade
um príncipe, monarca, imperador

Pisando firme, bem lá no fundo
e sem contar com auxílio nenhum
foi Três Vezes Campeão do Mundo
em 88, noventa, noventa e um

Dotado de um extremo talento
esse brasileiríssmo campeão
parecia ser teu filho, vento
voando baixo, sem sair do chão

Nesse tempo outros competidores
também sabiam muito bem correr.
Pilotos, verdadeiros professores
Prost, mansell, Lauda, Piquet...

Tempos das românticas corridas
prazeirosas, linda, té de mais.
A Fórmula Um era cheia de vida
com os seus mestres magistrais

Mas no seco ou mesmo na chuva
turbinado ou com convencional
nas linhas retas ou nas curvas
o Ayrton Senna era fenomenal

Ele era na verdade das verdades
tão fenomenal, tão sensacional
e batia recordes de velocidades
que a "POLE" virava coisa normal

E quando um dia o nosso menino
partiu num ponto cinistro, atroz
numa das curvas de San Marino
deixou um vazio no meio de nós


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

3 comentários:

Miguel Arcanjo disse...

belo e estrondoso:com o seu comentário maravilhoso e bondoso, desse nosso Senna que infelizmente saiu de cena.
agradeço a homenagem a este grande
brasileiro,feito pelo meu primo Fagundes farinheiro.


att: Louco por Melgaço!

Jetro Fagundes disse...

Lindo Miguel, sumano do
peito meu.
Grato por tu presença aqui.

Eu também sou louco pela
nossa Melgaço

Sandrinha disse...

Boa tarde Jetro!!

Passando pra fazer uma visita.

E te confesso que fiquei impressonada com tantas mensgens lindas.

Que Deus te proteja sempre!!

Abraços...Ilma.