sexta-feira, 24 de junho de 2011

Santarém. A Pérola do Tapajós






Santarém
A Pérola do Tapajós

Vento amigo agitado e sereno
companheiro irmão dos Marajós
cante pros encantos Santarenos
e águas do Amazonas e Tapajós

Nome de uma cidade portuguesa
a paraoara cidade de Santarém
tá situada no coração da natureza
entre Manaus e a nossa Belém

Tendo a fortíssima influência
do verde, do folclore popular
Santarém está na confluência
do Tapajós e Amazonas, rio mar

Ali, sem nenhuma hora marcada
o tempo todo vemos bailado, balé
do Tapajós de águas esverdeadas
com o Amazonas de oceânica maré

E que espetáculo maravilhoso!
As águas num encontro fenomenal
proporcionando um show fabuloso
de graça, harmonioso e natural

Santarém, privilegiada menina
tem quilômetros de extensão
de praia esverdeada, cristalina
lá no paraíso de Alter do Chão

Eu que fui navegante, marinheiro
passei várias vezes nesse lugar
conhecido como Caribe Brasileiro
pois vive inspirando cantarolar

Por ali os botos rosados dançam
bailando na flor da verde maré
encantando as moças que balançam
nas festas folclóricas do Sairé

Vento, inseparável companheiro
são tantos os encantos da região
que turistas do mundo inteiro
visitam Santarém, Alter do Chão

Santarém cidade tão encantada
é menina que inspira carimbós
chegando até ser cantarolada
como a bela Pérola dos Tapajós

Santarém do Tapajós, do Amazonas
quem já teve o privilegio de ver
as tuas coisas pra lá de lindonas
nunca mais consegue te esquecer

Nunca esquece a gente acolhedora
pessoal alegre, tudo gente de bem
de amizade sincera e duradoura
Amazônica, Linda Santa, Santarém

Lugar dos mais belos do planeta
quem navega no Amazonas, rio mar
te olha de binóculos ou lunetas
e deseja nunca mais se acordar

E por não ser miragem ilusória
os navios que passam na região
fazem ali parada obrigatória
num cais que flutua no coração

Vento, eu já fui teu navegante
bem antes de deixar de farinhar
nem que seja por uns instantes
juro voltar ainda a santarenear


Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

6 comentários:

Jaime Adilton disse...

Parabéns por Santarém, a Pérola do Tapajós!! Ficou lindo! Fiquei vislumbrado com seu neologismo: santarenear! Que coisa linda, digna de um autêntico poeta!

Jetro Fagundes disse...

Obrigado meu primo poeta!
Na verdade eu aqui é quem
sou teu fã, e de carteirinha,
pelas coisas lindas que
escreves. Sou frequentador
assíduo do teu Blog
"Cantinho da Saudade",
lá onde a poesia fala mais.
Ah, falar de Santarém é
navegar nas marés da saudade
e recordar meu tempo de marujo.
Santarém é linda, é encantada
e coisa nossa, cá da Amazonia.

A expressão Santarenear foi
idéia da linda poetisa
Rose Gonçalves, a amiga
que deu uma pincelada no poema
e eu acabei gostando também.
Aproveito pra deixar o agradecimento a poetisa Rose,
menina Rose, poetisa de mão cheia,
pessoa que sempre tratou com
muito carinho e respeito
um humilde vendedor de farinha
Ei menina Rose, beijão pra tu

Raquel disse...

Ah poeta esse lugar lindo,é meu sonho de consumo.e esse poema só faz aguçar o meu desejo.
um abraço no coração!

Raquel disse...

oi poeta Jetro adoro navegar no teu blog,pois além de passar emoções.passa também conhecimento.
parabéns:-)

Reviragita Poesia disse...

Querido Farinheiro,
vim te ver.
Se seus escritos valessem dinheiro,
vc estaria rico - São valorosos.
Ci

Jaime Adilton disse...

Ao ler o comentário de Reviragita Poesia:

Mas Jetro, o poeta farinheiro, está rico, tem leitores assíduos, seguidores fiéis, e uma poesia que encanta sempre mais. Não precisa valer dinheiro, tem que valer emoção, sentimento, ternura. e Isso Jetro tem pra dar e vender. É rico! É poeta de fina estirpe!