sexta-feira, 10 de junho de 2011

Marajó, a Ilha dos Encantos I





Marajó, a Ilha dos Encantos

I

Terra de um povo querido amado
gente dos carinhos mais profundos
cinquenta mil kilômetros quadrados
O Marajó é a maior ilha do mundo

Localidade donde nasceu Dalcídio
saudoso poeta romancista Jurandir
o seu povo descende do irmão índio
que ha milênios já habitava aqui

Ilha onde vemos singela harmonia
entre pessoas que vivem a cantar
e Vento que na cadência da poesia
encanta o tempo inteiro a soprar

Recanto dos encantos, da magia
naturalmente é paraíso ambiental
e uma verdadeira ilha da fantasia
que a gente contempla na vida real

Paragem onde o Vento faz piruetas
e onde um certo farinheiro morou
foi o único lugar em todo planeta
que a gripe espanhola não aportou

Lugar onde o Vento sopra mais forte
o Marajó como uma bússola natural
indica sempre os rumos do Norte
dando indícios de celeiro mundial

Ilha onde o povo a todo instante
inclusive nas horas de refeição
saboreia o gostoso fortificante
nosso Açaí, vinho típico da região

Cercado pelo Atlântico Oceano
e afluentes do Amazonas, rio mar
essa Ilha dos Marajoaras cabanos
é um belíssimo lugar pra si morar

Rica na beleza da biodiversidade
Plantas medicinais, ervas e cipós,
se espalham com toda naturalidade
da baía até o Amazonas e sua foz

Lugar das mais doces maravilhas
a começar pelo clima equatorial
o Marajó no seu conjunto de ilhas
forma o maior arquipélago fluvial

Caminhando com sorriso no rosto
sua gente sempre aprende partilhar
com rios e vento que de bom gosto
socializam a água e nosso puro ar

Terra de Joanes, dos Marajoaras
da Baia Mar de Água Doce e Tajapuru
Arari, Jaraca, Jacaré Grande, Ituquara
Pororoca, Mocoões, Laguna, Jaburu

Particularidades, peculiaridades
que no compasso do verso do Carimbó
lembra o caráter, a personalidade
do povo humilde da Ilha do Marajó

E aprende a partilhar com o verde
e sabe acolher alguém de coração
que muitos oferecem as suas redes
sendo capazes de dormirem no chão

O Paraíso Marajoara dos paraenses
tem muita gente que ama a canção
poetas lindos como o mano brevense
Pedro Silva, um Evangélico Cristão

Terra onde nas puras diversidades
pratos típicos, crenças, artesanais
dão vida às suas dezesseis cidades
e todas são encantadas até demais

Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

2 comentários:

Marli Braga disse...

Suas poesias sobre o nosso Marajó me encantam........são simplesmente lindas!

Reviragita Poesia disse...

Muito bonito - todo seu blog, está
excelente! Marajó. Tradições tão
importantes pra nossa cultura...