quinta-feira, 7 de outubro de 2010

JETRO FARINHEIRO


Jetro Farinheiro

Quando o sol nasce todo dia
lá esta ele com alegria
pesando nas palmas de suas mãos
a satisfação
a atitude
o objetivo

Para todo seu momento
não ter nem um lamento
só mantem no pensamento
o homem humilde e sagaz

Se as paralelas
se os lugarejos
e seus becos contassem
as vezes em que aqueles pés
firmes forcejando nas ladeiras
os pedais de sua cargueira
ou até por dentro dos lamaçais

Nada detem o velho farinheiro
de ser sempre um herdeiro
da Gloriosa Graça e Paz

Tem o tempo bem corrido
mas já deixa dividido:

No teclado do pc, poeta da vida
No violão, um instrumento de Deus
Para cada saca de farinha,
uma verdadeira rotina
de conquistar um mundo a mais



André Rodrigues

5 comentários:

Maria Cristina disse...

Este amigo, descreve com ênfase e ainda creio que fala pouco, por faltar linhas, de tantos versos que teria pra contar do nosso querido farinheiro. É poemando o poeta Jetro que vamos nos aprofundando na história deste grande homem marajoara pra aplaudir de pé seus feitos, sua vida e suas intermináveis pedaladas.

juliana bandeira disse...

Por só conhecer pela NET, esse meu amigo já me transmitiu ser uma pessoa maravilhosa.
Cheio de esperanças de mudar o mundo.
Feliz daquele que lhe tem como amigo.
Mas amigo como falar de ti, se me faltam palavras! Mas vou decifrá-lo em apenas duas "Raio de Luz".
Bjs!

MarthaRangel disse...

Um poema bem elaborado
para um amigo amado...
Descrevendo o seu valor...
Amigo dos encantos meus
Vou resumir Jetro Fagundes
Poeta do AMOR de DEUS!

Com carinho, Martinha!

Raquel disse...

jetro poeta de valor que na sua
simplicidade segue a vida cantando
as pessoas,
sempre feliz com o tem
e com o que faz.
sucesso para você primo poeta!

ROSE MARIA disse...

TODAS A HOMENAGENS FEITA PARA ESSE POETA FARINHEIRO SÃO MERECIDAS.SEU AMOR PELA POESIA E SUA SIMPLICIDADE FAZEM A DIFERENÇA.PARABÉNS POETA QUERIDO.