quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Museu do Marajó dos Motivos Encantados






Museu do Marajó
dos Motivos Encantados

Pense num espaço que foi criado
para que se aguce a imaginação
de quem tendo dedos delicados
enxerga com o olhar do coração

Espaço para expor a regionalidade
o Museu do Marajó é um lugar
onde você fica super à vontade
com liberdade de poder tudo tocar

Giovanni Gallo, padre visionário
cria esse Museu com a pretensão
de unir num espaço comunitário
a ciência, a arte e a imaginação

Vasto acervo de enorme significado
preciosidades das artes manuais
heranças dos queridos antepassados
pais dos artistas populares atuais

Lugar em que se promove, valoriza
as artes dessa amazônica região
mostra relíquias, peças interativas
aguçando o curioso toque da mão

Desenvolvido para quem é amante
da arqueologia e valores culturais
o museu interage com o visitante
que busca pesquisar cada vez mais

Vasos, jarros, estatuetas, potes...
cachimbos, cuias, urnas funerais
memórias dos primitivos do norte
natos artistas, fabulosos, geniais

Valores culturais santos achados
nas fazendas, lagos, rios, igapós
e que foram doados de bom grados
ao acervo do Museu dos Marajós

Acervos dos mais requintados toques
que sem o Museu do Marajó, no Arari
estariam certamente em Nova Iorque
Londres, Paris, Amsterdam, Madri

Nesse Museu você também se depara
com tantas obras de artes magistrais
de Sumanas e Sumanos Marajoaras
lindos artistas populares locais

Pra nós é o Museu mais lindo do mundo
pois tudo o que se vê em exposição
nos transporta ao íntimo, profundo
da beleza da reflexão, contemplação

Em meio às Cerâmicas e Cestarias
dos motivos ancestrais e atuais
ah, você sonha pescando sabedoria
e brinca como nos lindos arraiais

E por ali, pescando conhecimento
você descobre que o Marajoara Museu
além da pesquisa e do divertimento
como escola é um verdadeiro Liceu

Liceu dos aprendizados encantadores
patrimônio dos caboclos brincalhões
que improvisam simples computadores
com perguntas, charadas, adivinhações

Por ali o idioma mais pronunciado
tá longe de ser o intruso português
é o Tupi dos nossos antepassados
língua sumana do popular caboclês

Ali o dicionário da vergonha branca
diz que o racismo continua sendo normal
mas um dia a inteligência ainda desbanca
o preconceito que precisa ter um final

Museu das exposições mais belas
onde um público cativo bem fiel
Lembra o Nazo rodando a manivela
das Toadas pras Estrelas lá do Céu

Ali você vive uma fantástica viagem
navegando nos fragmentos da emoção
de cada dedo que toca a arte, a imagem
no olhar Clínico da alma, do coração

Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

Um comentário:

Marli Braga disse...

Um dia você vai ver tudo isso com suas próprias mãos!
Um grande abraço,ficou ótimo!