terça-feira, 31 de agosto de 2010

Dom Paulo Evaristo Arns























Dom Paulo Evaristo Arns



Mano Vento que nos seus encantos
é o senhor do seu próprio querer
quero te falar d’um homem santo
que soube fazer a hora acontecer

Tempo em que a pátria idolatrada
sonhava com a volta do irmão do Henfil
ela era estuprada, violentada
por agentes da baioneta, do fuzil

Dias tenebrosos, e a ditadura
empurrava goela abaixo da nação
um tal de A I Cinco, com
censura
mergulhando o país na escuridão

Vento que na liberdade absoluta
sabe e muito bem aquilo o que quer
tu sabes não haver FÉ sem LUTA
pelos direitos do homem,da mulher


Sei que além das dores e prantos
que vistes nos terríveis porões
tu testemunhastes pelos recantos
parceria das flores com as canções

Sei também que além de tudo isto
lá no íntimo do teu lindo coração
vias o nosso Dom Paulo Evaristo
ser um porta voz da indignação

Divina, consciente, inconformada
a voz desse belíssimo cardeal
mesma sendo doce, compassada
fez estrago no regime ditatorial

E a postura de Dom Paulo Evaristo
nas noites tenebrosas do Brasil
parecia ser a do próprio Cristo
contrária a baioneta e o fuzil

Sua arquidiocese foi uma trincheira
a serviço da redemocratização
da pátria, salve, salve, brasileira

vítima da mais terrível repressão

Dom Paulo porta voz da liberdade
sempre deu apoio
às pastorais
às mais lindas das Comunidades,
as CEBs, santas Bases Eclesiais

O santo incansável Paulo Evaristo
que criou a Comissão Justiça e Paz
também é o autor do famoso escrito
anti tortura "Brasil Nunca Mais"

Esse
Corintiano Frade Franciscano
também no seu oficio de pastor
soube desafiar o próprio Vaticano
com o seu jeito puro, libertador

Vento, você sabe o que é um encanto
irresistível como um canto natural?
Encanto é ver o sorriso terno, santo
desse libertário menino cardeal

É encanto das almas inspiradoras
que faz a diferença num
sorrir
lembrando Zilda Arns, uma pastora
a que partiu em Missão no Haiti

Por seus grandes feitos realizados
Em defesa dos movimentos sociais
Dom Paulo foi várias vezes indicado
para ganhar o prêmio Nobel da Paz



Jetro Fagundes

Farinheiro Marajoara

7 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Jetro Fagundes disse...

Um agradecimento a poetisa Belle Neves, e a Rose Maria, da CNBB,
lindas amigas que colaboraram
com esse poema feito com carinho
pra Dom Paulo Evaristo Arns

Gladis Deble disse...

Belo poema
Dom Paulo Evaristo Arns merece
todas as manifestações de carinho e
reconhecimento. Viveu sempre com um
olhar adiante do seu tempo.
Parabéns pelo texto!

Raquel disse...

parabéns pela iniciativa de homenagear dom evaristo .
homem de determinação e coragem.
num tempo que as pessoas eram "amordaçadas",ele (d. evaristo) ñ ficou calado...

Natan Lima disse...

Hei, poeta...
Adorei as duas linhas iniciais:
Mano Vento que nos seus encantos
é o senhor do seu próprio querer.
Talves nem mesmo tu tenhas te dado conta da verdade e da poesia contidas nesse enunciado. Ah, quanta inveja do vento que chega a todos, que é tão bem vindo mas que não se prende a ninguém. Quanta certeza e quanta liberdade há nisto.

Anônimo disse...

Oh! poeta que surpresa linda e maravilhosa foi entrar no blog e ver esta homenagem linda que voce fez a Dom Evaristo,ele que representa uma gente lutadora que está sempre procurando viver na justiça e na paz,gente sofrida mais que não desiste jamais.Em nome de todos da minha comunidade e diocese eu te agradeço por todo esse carinho.que Jesus te abençoe FIQUE EM PAZ! BEIJOS DA SUA AMIGA ROSE MARIA

Luna Di Primo Cafe Poetico disse...

sim, um belo poema e consequentemente uma bela homenagem... eu também reparei nos 2 primeiros versos divinamente belos e poéticos... bjuuu