sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Guerrilheiro Paraoara Paulo Fonteles, Companheiro de Guevara





Guerrilheiro Paraoara
Paulo Fonteles,
Companheiro de Guevara



Embora figurando em macabra lista
denunciava na tribuna parlamentar
a corrupta política entreguista
da criminosa ditadura militar

E sempre direcionava seu grito
de revolta, pura indignação
pros rumos das áreas de conflito
em defesa de lavrador, sem chão

Mesmo sofrendo muitas ameaças
de coronéis, fazendeiro, capataz
o deputado nas ruas e praças
sem se acovardar ousava mais

Em oitenta e sete, ex-deputado
mas sempre defensor de camponês
Paulo Fonteles foi atocaiado
na BR trezentos e dezesseis

Vítima da covardia assassina
o socialista, poeta, menestrel
é baleado num posto de gasolina
por uns pistoleiros de aluguel

Perto do começo da Alça Viária
o deputado heroicamente tombou
vítima da insanidade agrária
na terra em que ele tanto amou

Terra onde o poder judiciário
nos afronta com tanta omissão
prato cheio pra que reacionários
assassinem defensor de cidadão

Vento companheiro da História
tu que tens um ar de cantador
cante o que diz a Santa Memória
que terra é dom do Deus Criador

Ilustre pro infinito, aquarele
a terra, um dom supremo divinal
e cante pro irmão Paulo Fonteles
amigo de uma lendária Pastoral

Cantorie pro Araguaia, Xinguara
o que Ademar Bogo diz em poesia
que os companheiros de Guevara
trilham a estrada por um novo dia

Cante em memória de Paulo Fonteles
guerrilheiro poeta intelectual
que sentiu na sua própria pele
mil dores por defender seu ideal

Paulo Fonteles dedicou a vida
pela Reforma Agrária nacional
pela terra que quis ver dividida
em benefício do trabalhador rural

Escolas, ruas e praças paraoaras
sabem bem que a belíssima voz
do bravo companheiro de Guevara
ainda ecoa firme no meio de nós

Ecoa lá na memória do infinito
pros rumos donde também estão
Padre Josimo, Canuto, Expedito
todos gente de fé e muita ação

Ecoa lá pros rumos de Eldorado
e pro mato onde se tem recordação
de João Batista, outro deputado
que rega com seu sangue nosso chão

Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

Um comentário:

Reviragita Poesia disse...

Só grandes personalidades!
Parabéns, Jetro.